Crianças que fazem barulho: o que fazer?

Como ainda estamos em um momento onde passamos a maior parte do tempo em casa, começamos a entender melhor a rotina dos vizinhos e, aos poucos, algumas coisas podem incomodar as poucos, como, por exemplo, crianças que fazem barulho.

Para morar em condomínio de forma tranquila e sem problemas é preciso respeitar o próximo e as regras impostas, mas com a pandemia, o número de reclamações em relação a barulhos aumentaram consideravelmente.

É importante lembrar que, ainda mais na atual circunstâncias, é difícil conter crianças.

Há alguma lei sobre crianças que fazem barulho?

Não. Porém, como já dissemos em um artigo sobre a lei do silêncio, só é possível acionar o síndico para reclamar do barulho até às dez da noite quando há a possibilidade de: provocar úlcera, irritação, estresse degenerativo, aumentar o risco de infarto, hipertensão arterial, entre outras enfermidades.

Por isso, é importante que os pais das crianças que fazem barulho precisam limitar o horário de brincadeiras dentro do apartamento para no máximo às 22h. Outra dica é também fazer o uso de tapete emborrachado nos quartos das crianças, assim, ele abafa o barulho do andar de baixo. Os pais podem fazer o uso de tapetes e carpetes também.

Para os vizinhos, é preciso lembrar de sempre ter empatia e compreensão com os pais e também com as crianças que fazem barulho, uma vez que estas precisam de movimentação diária e que elas foram muito afetadas com a pandemia, e, dependendo da sua idade, ainda não possuem uma atividade curricular para mantê-las ocupadas.

Lembrando que, para evitar que fique um mal estar entre os vizinhos e evitar problemas futuros, é dever do síndico orientar e salientar regras que deverão ser seguidos por todos, incluindo as crianças. O diálogo entre os vizinhos também é importante para que a convivência se torne harmoniosa e sem estresse.

Para mais artigos com dicas sobre convivência em condomínios, acesse o blog da Rede Provectum!